sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

A História da Matemática

Este documentário produzido pela BBC, em parceria com a Open University, é narrado pelo professor de Matemática da Universidade de Oxford, Marcus du Sautoy. Estou lendo um livro dele, chamado "O Mistério dos Números: uma viagem pelos grandes enigmas da matemática", e está bem interessante a leitura.

O documentário dá uma visão geral sobre a História da Matemática, falando sobre alguns assuntos que discutimos na semana passada, como o sistema de numeração egipcio, babilônico, e cita vários personagens matemáticos que contribuíram para com o desenvolvimento dessa ciência tão nobre! Embora a maioria deles seja desconhecida de vocês, logo passará a fazer parte das histórias contadas pelos professores em sala de aula e, até o final do ensino fundamental, muitos deles já serão nomes bastante familiares!

A linguagem está bem simples e não será difícil de vocês compreenderem a ideia geral, mesmo que alguns tópicos fiquem ainda obscuros. Certamente, uma pessoa com maior bagagem matemática, dará um valor maior ao documentário!  Mas onde apenas um de vocês escute alguma frase interessante desse documentário e que desperte o matemático que existe dentro de cada um, quem sabe seja o pontapé inicial que fará toda a diferença no futuro escolar e/ou profissional de vocês...

Parte 1/4

Parte 2/4

Parte 3/4

Parte 4/4

Um bom período de carnaval a todos.

OBS: e a frase "que não quer calar": NÃO ESQUEÇAM DE ESTUDAR A TABUAAAAAAAAAADA!!!

bjs,
Caren

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Conhecendo o Universo

Ontem a NASA (Agência Espacial Norte Americana) publicou a descoberta de novos sistemas planetários em nossa galáxia. Clique na imagem abaixo para entender melhor essa novidade. Repare que esta página do UOL Ciência é muito interessante e vale a pena explorá-la.


Para completar nosso viagem pelo Universo, convide sua família e amigos para visitarem o Planetário do Rio. Há horários específicos para assistir diversas projeções  na cúpula e para ter acesso ao telescópio (clique na imagem abaixo para abrir a página da Fundação Planetário).


Vocês sabiam que o Brasil participa de diversos projetos espaciais internacionais importantes? Visita a NASA brasileira clicando nas imagens a seguir!




NASA

Que tal aprofundar o seu inglês? Acesse o site da NASA, clicando na imagem abaixo e tire dúvidas com suas professoras para entender melhor os detalhes desse site.




Donald no País da MatemáGica!

Assisti a esse vídeo quando era criança!! 
O início é meio paradinho, mas depois fica legal... Tentem assisti-lo até o fim! Vocês verão que tem coisas bem interessantes!!



Desejo um bom carnaval a todos.
Aos que forem viajar, se cuidem na estrada. 

E não esqueçam de treinarem a tabuada!!

bjs,
Caren

Número de Ouro

Ontem falamos em algumas sequências em sala de aula e prometi postar dois videos aqui: agora postarei apenas o vídeo sobre o número de ouro e a sequência de Fibonacci. Hoje à tarde, postarei outro mais antigo, chamado Donald no País da MatemáGica!

O vídeo sobre o número de ouro está dividido em duas partes: na primeira, a abordagem é mais voltada às artes. Existem 16 segundos com tela preta entre os tempos 12'10" e 12'26". Não desistam... Depois de 12'26 vem uma abordagem mais matemática e voltada à biologia. O vídeo é bem interessante. Foi produzido pela TV Escola e está disponível no youtube, juntamente com os demais vídeos dessa série chamada Arte & Matemática.

Espero que gostem.
Prof. Caren

video


terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Pompeia - O Filme!

Ainda temos dois meses pela frente para estudarmos os vulcões. Mas não podemos perder a oportunidade de sugerir para vocês assistirem um bom filme que está em cartaz: Pompeia.
Estive na Itália há dois anos e fiquei muito impressionado com a arquitetura daquilo que foi uma grande cidade do Império Romano e que foi sepultada pelas cinzas do Monte Vesúvio em 79 d. C. Mais impressionante ainda foi observar as pessoas que viraram estátuas de pedra por causa da ação vulcânica. 
Só mesmo assistindo o filme para entender como isso aconteceu!









sábado, 22 de fevereiro de 2014

Cultura Brasileira: Marchinhas de Carnaval





Marcha de Carnaval, também conhecida como "marchinha", é um gênero de música popular que foi predominante no carnaval dos brasileiros dos anos 20 aos anos 60 do século XX, quando começou a ser substituída pelo samba-enredo porque as escolas de samba não queriam pagar os altos preços cobrados pelos compositores musicais. No entanto, no Rio de Janeiro e em diversas cidades do Brasil, as centenas de blocos carnavalescos que anualmente desfilam durante o carnaval continuam, a cada ano, lançando novas marchinhas e revivendo as antigas.


A primeira marcha foi a composição de 1899 de Chiquinha Gonzaga: 




Um estilo musical importado para o Brasil, descende diretamente das marchas populares portuguesas, partilhando com elas o compasso binário das marchas militares, embora mais acelerado, melodias simples e vivas, com letras picantes, cheias de duplo sentido.
Inicialmente calmas, a partir da segunda década do século XX passaram a ter seu andamento acelerado, devido à influência da música comercial norte-americana da era jazz-bands, tendo como exemplos as marchinhas Eu vi e  Zizinha, de 1926, ambas do pianista e compositor José Francisco de Freitas, o Freitinhas.
A marchinha destinada expressamente ao carnaval brasileiro passou a ser produzida com regularidade no Rio de Janeiro, a partir de composições de 1920 e atingiu o apogeu com intérpretes como Carmem Miranda (primeiro vídeo lá em cima), Emilinha Borba, Silvio Caldas dentre outros. 
As marchinhas de carnaval tiveram seu auge nos anos 30, 40 e 50. Depois delas, muito foi produzido, pouco aproveitado. Dos anos 60 em diante começaram a perder espaço para os sambas-enredo.
Nos anos 80, algumas regravações chegaram a fazer sucesso, como Balancê, gravada por Gal Costa:




e Sassaricando, gravada por Rita Lee:



Mas tudo isso era muito pouco para um país que somente em 1952 produziu cerca de 400 músicas de carnaval, a maioria delas marchinhas alegres e divertidas.

(O texto acima foi retirado, parte transcrito, parte adaptado, da Wikipédia.)

Se você ficou curioso e quer ouvir mais, aqui há 43 marchinhas de Carnaval. Nem todas têm letras apropriadas ou politicamente corretas, mas fazem parte da História de nossa Cultura Brasileira.





Dom Quixote em nossa cultura

Caros alunos,

Para quem se encantou com a paixão de Ana Maria Machado, ainda pequenininha, por Dom Quixote (relatada na Nota de Aula 1), eis aqui algumas antigas publicações que fiz neste blog sobre o grande Cavaleiro Errante. Agora, em 2014, não leremos o livro adaptado em HQ que, em 2012 e 2011, lemos. No entanto, a importante obra de Cervantes é inesquecível e não pode deixar de ser conhecida por vocês.

Quem for curioso, clique aqui e veja como essa obra extrapolou a sua mídia primeira (o livro) e se propagou em diversos outros formatos como a propaganda, a música, o balé, a pintura, a poesia, a animação etc. Todas elas só fazem confirmar a importância e universalidade de Dom Quixote e seu fiel escudeiro Sancho Pança.

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Gravidade Zero!

Após estudarmos um pouco sobre os diferentes espaços da Geografia, vamos nos aprofundar numa "viagem" ao Espaço Sideral. O filme Gravidade, que concorre ao Oscar este ano e que ainda está em cartaz nos cinemas (é fantástico assisti-lo em 3D), nos dá uma boa ideia a respeito dos desafios que o Universo ainda nos impõe. Dê uma checada no trailer abaixo:





Os efeitos que a falta de gravidade provocam no corpo humano



Desde a chegada do homem à Lua até os dias atuais, as imagens do homem chegando à Lua encantam inúmeras pessoas, entretanto, a vida de um astronauta não é nada fácil. Já imaginou ficar vários dias flutuando no espaço sem sofrer a ação da força da gravidade? Mesmo que possa parecer divertido, a ausência dessa força invisível que nos prende ao solo provoca várias transformações no organismo humano. Mesmo assim, o homem apresenta grande capacidade de adaptação no espaço.

A sensação de ter o corpo empurrado de um lado para outro dentro de uma espaçonave - dando a impressão de que a aeronave está se deslocando e os astronautas estão parados - é o primeiro efeito sentido por eles, quando chegam a um ambiente sem gravidade. Mas e por que isso ocorre? Na verdade, quando estamos submetidos à gravidade o tempo todo - como em nosso planeta -, nem percebemos a ação dessa força, pois a sensação de estarmos presos ao solo passa a ser automática. O corpo só sente essa força quando ela aumenta ou diminui.

Porém esse não é o único efeito. Alguns astronautas relatam que sentem inflar as veias do pescoço poucos minutos após saírem da atmosfera da Terra. Alguns sentidos - como o paladar e o olfato - também ficam alterados: os astronautas só conseguem sentir o sabor das comidas muito temperadas. Outras partes do corpo ainda são afetadas, como os pulmões. Na superfície terrestre, os níveis de oxigênio e de sangue nesse órgão são constantes; já no espaço, esses níveis se alteram.

Em viagens mais longas, os astronautas têm ainda que enfrentar problemas psicológicos. Isso porque eles ficam limitados em um espaço limitado, isolados da vida normal da Terra e convivem com um grupo pequeno de companheiros, e normalmente  de outras nacionalidades. Essas mudanças podem provocar ansiedade, insônia, depressão, além de criar situações de tensão na equipe.

Quando os astronautas retornam à Terra, novas mudanças ocorrem em seus corpos. Embora os efeitos da falta de gravidade sejam completamente reversíveis, o corpo tende a voltar ao normal só uma ou duas semanas depois do retorno. Muitos astronautas ficam desorientados e não conseguem manter o equilíbrio do corpo, além de apresentarem um enfraquecimento dos ossos, que podem se quebrar mais facilmente.

Muitos médicos pesquisam os efeitos da ausência de gravidade no corpo humano, para melhorar os cuidados com a saúde não só daqueles que viajam pelo espaço, mas também dos que ficam na Terra. Isso porque os efeitos de uma viagem espacial são semelhantes a algumas das consequências do envelhecimento do organismo. Como podemos  perceber, a vida de um astronauta é muito mais difícil do que parece à primeira vista.


fonte do texto acima: http://www.sogeografia.com.br/Conteudos/Astronomia/?pg=6


domingo, 16 de fevereiro de 2014

Cartinhas da Tabuada

Olá, pessoal!

Na semana que passou, fizemos uma avaliação diagnóstica sobre a tabuada. Percebemos que pouquíssimos alunos conseguiram resolver as 90 continhas (tabuada do 1 ao 9) em menos de 6 minutos! É verdade que teve gente que conseguiu em menos de 3 minutos... e essa deveria ser a meta de todos nós! Não podemos deixar que a tabuada atrase a compreensão de tantos outros assuntos que trabalharemos em matemática neste ano. Temos que saber a tabuada "na ponta da língua!", respondendo sem nem pensar!!

Por isso, estamos trazendo aqui para vocês um arquivo contendo as cartinhas da tabuada. Quem puder imprimir e recortar, já pode começar a se desafiar.... e a desafiar os irmãos, pais, tios, avós... Usem um cronômetro e marquem o tempo que vocês levam pra dizer toda a tabuada. Não esqueçam de embaralhar as cartinhas... Peçam ajuda para os pais... eles podem ir largando a cartinha na mesa. Enquanto vocês não acertarem a resposta, não pode largar outra.

Logo, logo, faremos uma VI sobre a tabuada. Queremos ver quem melhorou e quem simplesmente não fez nada pra se agilizar!!

Quem conseguir responder a tabuada toda em menos de 4 minutos, pode deixar um recadinho aqui, se identificando e dizendo em quanto tempo conseguiu! E não esqueçam de buscarem a superação sempre!! Estaremos na torcida por vocês!!!

bjs,
Prof Caren e Ten Roberta

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Conhecendo a Geografia

Que tal ouvir uma música para começarmos a entender melhor o que é a Geografia?



 Abraços a todos vocês e bem vindos ao CMRJ!

Professores Alfeu e Evely

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

A importância dos nomes

O primeiro texto que lemos nas aulas de Língua Portuguesa é de Daniel Munduruku. Nele, descobrimos o valor e a importância que povos indígenas dão ao NOME.

E aí? Você já sabe o nome de todos os seus colegas e professores? Já sabe como se dirigir a eles para conversar, aprender e trocar ideias? O nome é algo valorizado há muito tempo em diversas culturas distintas. Pena que nós, hoje em dia, esquecemos muitas vezes esse valor.

Leia, abaixo, mais uma historinha sobre o nome. Confúcio (o mestre que aparece no texto) foi um filósofo chinês que viveu por volta de 500 anos a.C..

Certa vez, um discípulo bastante curioso perguntou ao mestre Confúcio:

– Se o rei o chamasse para governar o país, qual seria sua primeira providência?
 Aprender os nomes de meus assessores, respondeu o sábio.
 Que bobagem! Essa é a grande preocupação de um primeiro-ministro?
 Um homem nunca pode receber ajuda do que não conhece, respondeu Confúcio. 
– Se ele não entender a natureza, não compreenderá Deus. Da mesma maneira, se não sabe quem está do seu lado, não terá amigos. Sem amigos, não pode estabelecer um plano. Sem um plano, não consegue dirigir ninguém. Sem direção, o país mergulha no escuro, e nem os dançarinos sabem decidir com que pé devem dar o próximo passo.
Então, finalizou seu ensinamento: 
– Uma providência aparentemente banal, que é saber o nome de quem vai estar ao nosso lado, pode fazer uma diferença gigantesca.
(Texto escrito sem consultar a fonte primeira.)

domingo, 9 de fevereiro de 2014

Ano Novo, Vida Nova e muito estudo!

Caros alunos da 1a Cia,

Bem-vindos ao CMRJ! 

Agora é que o ano realmente vai começar; afinal, enquanto estamos de férias, tudo é festa. A partir do início do ano letivo, passamos a ter horários fixos, vários compromissos e muitas responsabilidades a cumprir.

Esperamos poder caminhar juntos com vocês, sempre em harmonia e com muitas aprendizagens. E que o ano de


seja maravilhoso com tudo o que ele tem para nos proporcionar.